Home
........................................
Notícias
........................................
Notícias

Armas

Armas: prazo para cadastro termina quarta-feira

Os brasileiros deixaram para a última hora a tarefa de legalizar as armas sem registro na Polícia Federal. O prazo do cadastramento obrigatório termina nesta quarta-feira, e quem não regularizar sua situação ainda em 2008 poderá ser enquadrado, a partir do dia 1º, nos crimes de porte e posse ilegal de armas. Nesta segunda-feira, o site da PF (www.dpf.gov.br) já havia recebido 17 mil pedidos de registro até o fim da tarde, número muito acima da média de mil cadastros diários nos primeiros meses da campanha, iniciada em janeiro. Nesta terça, o órgão deixará técnicos de plantão para evitar panes no sistema.

- Infelizmente, é da nossa cultura deixar tudo para a última hora. Tivemos problemas no site, mas estamos aumentando nossa estrutura de computadores para atender a todos os pedidos - afirmou o delegado Douglas Saldanha, chefe substituto do Sistema Nacional de Armas (Sinarm).

Como já havia sido anunciado pelo ministro da Justiça, Tarso Genro, o governo descarta uma nova prorrogação do prazo para o cadastramento. O limite de 31 de dezembro foi instituído por medida provisória no início do ano, após resultados considerados insatisfatórios em 2007.

- O prazo será cumprido. Não cabe à PF estendê-lo - disse Saldanha.

Indenizações por armas vão de R$ 100 a R$ 300
Do início do ano até 30 de novembro, data do balanço mais recente do governo federal, a PF havia concedido 56.415 registros para armas antigas. No mesmo período, o Sinarm contabilizou 21.292 armas novas, 12.594 apreendidas e 7.469 roubadas. Apesar da Campanha do Desarmamento e da oferta de indenizações de R$ 100 a R$ 300 por cada arma entregue, as estatísticas de devolução ficaram muito abaixo do esperado: faltando um mês para o fim do ano, a PF recebeu apenas 16.310 revólveres, espingardas e similares.

Apesar da distância entre os números reais e a expectativa de receber de 300 mil a 500 mil armas em 2008, o chefe substituto do Sinarm procurou manter o tom de otimismo. Ele disse que o governo acredita no impulso dos últimos dias para evitar o fracasso da campanha.

- A delegacia da PF em Santarém, no Pará, recebeu gente que viajou 12 horas de barco para registrar uma espingarda. A campanha já atingiu seu objetivo - afirmou o delegado.

A partir do dia 1º, quem tiver uma arma não registrada em casa não poderá mais legalizá-la, mas ainda poderá devolvê-la na delegacia mais próxima da PF. Embora o prazo para o cadastramento termine amanhã, a devolução de armas ainda poderá ser feita nos próximos meses. No entanto, quem quiser entregar uma arma não registrada terá que obter antes uma guia de trânsito, no site da PF, para levá-la até uma delegacia sem ser enquadrado por porte ilegal. O órgão informou que os números do Sinarm só serão atualizados nos primeiros dias de 2009.


Cadastre-se em nosso newsletter

Caso não tenha o Acrobat Reader,
clique aqui
.